Após vazamento de vídeo de cunho racista, Globo afasta William Waack
Em comunicado, emissora diz ser “visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações”.

A Rede Globo emitiu um comunicado na noite desta quarta-feira (8), no qual confirma que afastou o jornalista William Waack de suas funções na emissora após o vazamento de um vídeo onde ele diz frases de cunho racista. Atualmente, ele apresenta o Jornal da Globo.

O texto informa que o apresentador será afastado até que a situação seja esclarecida. Nele, a Globo reforça ser “visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações”.

De acordo com o comunicado, Waack afirma não se lembrar do que disse. E pede sinceras desculpas àqueles que se sentiram ultrajados pela situação.

Confira o comunicado a seguir:

COMUNICADO

A Globo é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações. Nenhuma circunstância pode servir de atenuante. Diante disso, a Globo está afastando o apresentador William Waack de suas funções em decorrência do vídeo que passou hoje a circular na internet, até que a situação esteja esclarecida.

Nele, minutos antes de ir ao ar num vivo durante a cobertura das eleições americanas do ano passado, alguém na rua dispara a buzina e, Waack, contrariado, faz comentários, ao que tudo indica, de cunho racista. Waack afirma não se lembrar do que disse, já que o áudio não tem clareza, mas pede sinceras desculpas àqueles que se sentiram ultrajados pela situação.

William Waack é um dos mais respeitados profissionais brasileiros, com um extenso currículo de serviços ao jornalismo. A Globo, a partir de amanhã, iniciará conversas com ele  para decidir como se desenrolarão os próximos passos.

Rio de Janeiro, 8 de novembro de 2017.

ENTENDA O CASO

William Waack está sendo acusado de racismo devido a um vídeo que circula nas redes sociais. Nas imagens, o âncora do Jornal da Globo aparece irritado, reclamando por causa de um motorista que buzina próximo ao estúdio onde as gravações eram realizadas.

O caso aconteceu durante o período das eleições presidenciais americanas de 2016, quando Waack fazia a cobertura diretamente dos Estados Unidos. No vídeo, é possível ouví-lo dizer “Tá buzinando por quê, seu merda do cacete? Não vou nem falar, porque eu sei quem é”. Ao final, o jornalista diz ao comentarista que o acompanha “É preto. É coisa de preto”.

Foto: reprodução/YouTube.

Recomende este conteúdo aos seus amigos nas redes sociais e acompanhe a Factual no FacebookTwitter e Instagram.

Vinicius Martins

Editor da Revista Factual, jornalista em formação, cristão, músico, entusiasta da música e designer gráfico. Gosta de ler, tocar violão, bateria e curtir bons sons. Um apaixonado por Goiânia e seus encantos. Motivado pelo aprendizado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *