MAC e CCON lançam hoje a exposição “Contrarquitetura”
Juliano Moraes abre a temporada do Museu de Arte Contemporânea de Goiás. Mostra permanece em cartaz até 20 de outubro, com entrada franca.

O Museu de Arte Contemporânea de Goiás (MAC|Goiás) promove nesta terça-feira (29), a partir das 20 horas, o vernissage da exposição “Contrarquitetura”, do artista plástico goiano Juliano Moraes. O evento marca a reabertura do salão principal do MAC, que é ligado ao Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON).

A mostra tem cerca de 50 obras – entre esculturas, desenhos e instalações – e fica à disposição do público a partir desta quarta-feira (30), até 20 de outubro, com entrada franca.

“Contrarquitetura” é a segunda individual de Juliano Moraes no MAC – a primeira foi “Ne-Uter”, em 2001. As obras que compõem o projeto atual foram elaboradas nos últimos dois anos exclusivamente para a exposição, que tem o incentivo cultural da Lei Goyazes, da Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (Seduce) e do Governo de Goiás.

Sobre seu trabalho, Juliano Moraes afirma: “Tenho pensado cada vez mais que esse meu vislumbre pela sobra é, em grande medida, o vislumbre de um ‘infinito provável’, pelo profundo laconismo desta terra. Quero reinvocar o ‘sertão mito’, essa velha alteridade que ajudou a formar nosso imaginário de nação brasileira, como o lugar da incompletude e da abjeção. Isso é pura contrarquitetura, puro paradoxo – como viver no ignoto simbólico do mundo, quando tudo é nem-lá-nem-cá”.

Origem
Juliano Moraes 7 - Foto Juliana Franco
O artista plástico Juliano Moraes. Foto: Juliana Franco.

O artista plástico nasceu em Goiânia (GO) e tem 45 anos. Começou sua carreira aos 14. Aos 18, foi premiado na 2ª Bienal de Goiás. Desde então, teve seu trabalho exposto em importantes salões, museus e galerias de Goiânia, Brasília, São Paulo, Porto Alegre, Fortaleza e Rio de Janeiro. É professor da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás (FAV/UFG).

“Juliano é um dos artistas mais atuantes e originais a produzir arte contemporânea no Estado”, define o curador do MAC|Goiás, Gilmar Camilo. Coordenadora da instituição, Márcia Pires diz que, ao sediar a exposição, o MAC|Goiás “reafirma sua missão de trazer grandes mostras e mapear a produção contemporânea brasileira”.

A produção de “Contrarquitetura” está sob a responsabilidade de Guilherme Wohlgemuth e a ação educativa tem a consultoria de Cayo Honorato. O design gráfico está a cargo de Maurício Mota.

Visitação

A partir de 30 de agosto (quarta-feira), o MAC|Goiás abre a exposição “Contrarquitetura” para visitação pública. Os horários são das 9 às 17 horas, de terça a sexta-feira, e das 11 às 17 horas, aos sábados, domingos e feriados. O Museu dispõe de uma equipe de monitores especialmente preparada para receber o público.

Para grupos de alunos e professores, o Núcleo de Ação Educativa e a Curadoria oferecem ainda uma série de atividades de sensibilização e contato com a obra do artista. Já é possível agendar visitas pelo telefone (62) 3201-4923 ou pelo e-mail acaoeducativa.mac@gmail.com.

Readequações

O Museu de Arte Contemporânea de Goiás (MAC|Goiás) foi o primeiro espaço a sofrer intervenções no processo de reforma do Centro Cultural Oscar Niemeyer: piso e sistema de iluminação foram readequados, assim como os itens de segurança – agora atualizados às novas normas de combate a incêndios. A reforma do CCON está sob a coordenação da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop).

SERVIÇO

exposição contrarquitetura divulgação

Exposição “Contrarquitetura”, de Juliano Moraes

Abertura: 29 de agosto de 2017 (terça-feira), às 20 horas
Visitação pública: 30 de agosto a 20 de outubro de 2017 (das 9 às 17 horas, de terça a sexta-feira, e das 11 às 17 horas, aos sábados, domingos e feriados)
Local: Museu de Arte Contemporânea de Goiás/Centro Cultural Oscar Niemeyer (Avenida Deputado Jamel Cecílio, nº 4.490, Quadra Gleba, Lote 1, Setor Fazenda Gameleira – Goiânia, Goiás)
ENTRADA FRANCA
Mais informações e agendamento de grupos: (62) 3201-4923 / acaoeducativa.mac@gmail.com

Foto de capa: Museu de Arte Contemporânea de Goiás (MAC) / Leonardo Finotti/CCON.

Redação

Revista Factual

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *