Símbolo do Cerrado brasileiro, Chapada dos Veadeiros é devastada por incêndio há dez dias
Estimativa das autoridades é de que 26% do território tenha sido consumido pelas chamas. Saiba como ajudar as equipes voluntárias.

Paraíso do ecoturismo goiano e símbolo do Cerrado brasileiro, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros há dez dias sofre as consequências de um incêndio que já consumiu 64 mil hectares, ou seja, 26% do seu território. Na tentativa de conter o avanço das chamas, equipes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), voluntários, homens do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás e do Distrito Federal e moradores da região se esforçam no trabalho de combate ao fogo.

As chamas atingem a região dos Saltos até as serras de Santana e do Ministro. Nesta área, o avião C-130 Hércules, da Força Aérea Brasileira auxilia as ações com lançamentos de 12 mil litros de água. As equipes de brigada do PrevFogo, do Ibama atuam nessa linha, próximo ao município de Cavalcante. Os profissionais tentam evitar que o fogo atinja a comunidade quilombola dos Kalunga.

Nas redes sociais, grupos se mobilizam em busca de ajuda, mantimentos e recursos para a continuidade do trabalho de combate ao incêndio. Um deles é a Rede Contra Fogo, movimento que por meio de um financiamento coletivo on-line, arrecada colaborações em dinheiro com objetivos a curto prazo, no intuito de manter financeiramente o trabalho de controle das chamas e médio prazo, na prevenção de incêndios e conservação do Cerrado local.

Os valores atualmente angariados pela campanha da Rede Contra Fogo compreendem a alimentação dos centenas de brigadistas e voluntários, treinamento aos voluntários da sociedade civil que querem atuar em conjunto com os órgãos competentes, aquisição de novos equipamentos e equipamentos de proteção e combustível para os equipamentos e veículos que atuam na movimentação.

Incêndio criminoso

Nos últimos dias, acentuaram-se os indícios de que o fogo na Chapada dos Veadeiros pode ter motivação criminosa. Christian Berlinck, da Coordenação de Prevenção e Combate aos incêndios do ICMBio, afirmou em vídeo: “Há indícios de que o fogo foi sim, provocado. Ele foi causado num momento do dia que estava esquentando, a favor do vento, com ventos muito fortes. Então, a tendência é que ele tenha sido provocado, sim, para causar um incêndio de grandes proporções. É isso que nós estamos avaliando”, destacou.

Confira o vídeo:

O perfil Savana Veadeiros, por meio de uma publicação no Facebook, também sustenta a denúncia de incêndio criminoso. De acordo com o texto, o ato seria motivado por interesses políticos e atuação de ruralistas.

Internautas ainda questionam o fato de até o momento, a Prefeitura de Alto Paraíso não ter decretado Estado de Calamidade Pública, decorrente de desastre natural com danos humanos, materiais e ambientais.

Sobre a Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, criado em 1961, protege uma área aproximada de 240.6114 ha do Cerrado de altitude. São diversas formações vegetais; centenas de nascentes e cursos d’água; rochas com mais de um bilhão de anos, além de paisagens de rara beleza, com feições que se alteram ao longo do ano.

O Parque também preserva áreas de antigos garimpos, como parte da história local e foi declarado Patrimônio Mundial Natural em 2001 pela UNESCO. Além da conservação, o Parque tem como objetivos a pesquisa científica, a educação ambiental e a visitação pública.

A caminhada e banhos de cachoeira são as principais atividades no Parque nas imensas paisagens da Chapada numa viagem pelo Cerrado brasileiro em antigas rotas usadas por garimpeiros, que hoje são utilizados pelos visitantes.

Ajude a Rede Contra Fogo no combate ao incêndio na Chapada dos Veadeiros. Contribua com o financiamento coletivo do Catarse. Clique aqui e conheça.

Com informações do ICMBio.

Foto: reprodução/Rede Contra Fogo/Facebook.

Recomende este conteúdo aos seus amigos nas redes sociais e acompanhe a Factual no FacebookTwitter e Instagram.

Vinicius Martins

Editor da Revista Factual, jornalista em formação, cristão, músico, entusiasta da música e designer gráfico. Gosta de ler, tocar violão, bateria e curtir bons sons. Um apaixonado por Goiânia e seus encantos. Motivado pelo aprendizado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *