Projeto promove incentivo e formação de professores para a rede pública no DF

Fundado pelos professores Carlinhos Costa e William Dornela, 'Os Pedagógicos' atrai profissionais que desejam seguir carreira na docência, contrariando fatores como o aumento nos índices de agressões e desvalorização profissional da categoria

0
Os Pedagógicos, Carlinhos Costa e William Dornela, Carlinhos Costa, William Dornela, professores
Foto: reprodução/internet

Um relatório divulgado em junho de 2018 pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), aponta um dado preocupante. A taxa de adolescentes brasileiros na faixa dos 15 anos que almejam seguir a carreira docente caiu de cerca de 7,5% para apenas 2,4%, entre os anos de 2006 e 2015.

O estudo foi produzido pela OCDE com base nos dados do último Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa). O desempenho geral do Brasil no Pisa 2015, porém, foi ruim. Isso porque, dentre os 70 países e regiões avaliados, o Brasil ficou na 63ª posição em ciências, 59ª em leitura e 65ª em matemática.

Segundo pesquisa realizada pelo Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede), em uma amostra de 23.141 alunos, 3,3%, o que corresponde a 755 em números absolutos, disseram que esperam ser professores, na faixa dos 30 anos de idade.

Desses, 24 declararam ser de escolas privadas – o restante é de escola pública ou deixou esse item em branco no questionário.

Em nosso país, há ainda mais uma característica de destaque: quanto maior o grau de instrução dos pais, menor o interesse dos filhos pela carreira docente. Enquanto 3,4% dos alunos filhos de pais que não terminaram o ensino médio querem ser professores, apenas 1,8% daqueles cujos pais possuem ensino superior querem seguir a profissão.

Em entrevista à Factual, os professores da rede pública do Distrito Federal, Carlinhos Costa e William Dornela opinam que os possíveis fatores responsáveis pela queda no interesse pela carreira docente, apontado pela OCDE, seriam especialmente ligados à violência e a desvalorização da carreira.

“A não equiparação do salário com as demais carreiras de nível superior e a não oferta de condições de trabalho são sempre listados como fatores negativos da escolha de jovens pelas profissões. A violência contra o professor também é fator determinante para não escolha e abandono da profissão”, contam.

O outro lado

Na direção oposta a este quadro apontado pelas pesquisas, Carlinhos Costa e William Dornela começaram a identificar, há pouco mais de dois anos, um aumento de profissionais formados em licenciaturas à procura de formação na rede pública de ensino.

Com base nessa demanda, fundaram então Os Pedagógicos, um espaço de aprendizagem e desenvolvimento de estratégias para aprovação em concursos públicos da carreira magistério e pedagogia institucional.

Só em 2019, o quantitativo aproximado de alunos que participam/participaram de seus cursos e turmas até agora soma, aproximadamente, 3,5 mil alunos, o que corresponde a 80% do déficit aproximado na Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF).

Divididos em sete turmas e 17 aulões – boa parte com lotação esgotada – até o momento, o quantitativo estimado de alunos que já atuam como professores é de aproximadamente 3 mil. E a tendência é aumentar.

Prova disso é que, em junho deste ano, um evento beneficente reuniu alunos suficientes para lotar o Museu da República, localizado no Eixo Monumental, com 700 lugares. O evento, divulgado apenas em redes sociais, arrecadou aproximadamente duas toneladas em mantimentos que foram doados para instituições beneficentes.

Contrariando os dados mencionados acima e fatores como o aumento nos índices de agressão a professores e desvalorização profissional, Os Pedagógicos já somam mais de 50 mil inscritos em seu canal no YouTube e quase 100 mil seguidores nas redes sociais que estudam e participam ativamente para realizar o sonho de se tornarem professores efetivos.

Aulão do projeto Os Pedagógicos no Museu da República. Foto: divulgação.

Uso da internet e suas tecnologias

Na internet, Costa e Dornela incentivam e democratizam os estudos para professores da rede pública de todo o país. Toda semana, eles divulgam vídeos e dicas no canal. O ambiente virtual, por sua vez, amplia a experiência e as possibilidades de formação destes novos profissionais da educação.

“Atender os professores já formados há muitos anos foi o eixo norteador da ação inicial d’Os Pedagógicos. Porém, como o advento da formação e com o uso das novas tecnologias, o público mais jovem e ainda em formação inicial passou a ser uma grande porção dos estudantes que tem se preparado para se tornarem professores da rede pública de ensino”, reforçam.

A estratégia utilizada não se baseia no modelo de estudo tradicional. Os professores transformaram as ferramentas digitais e interação em modelos para aprendizagem. Isso tem atraído cada vez mais professores que estavam desmotivados a buscarem formação para atuarem com qualidade na rede pública.

Os docentes ressaltam a importância da internet e suas ferramentas como potenciais incentivadores para a mudança deste cenário. “A educação a distância tem se mostrado uma modalidade de ensino importante, aliada no processo de democratização do ensino, e com isso, muitos jovens tem se tornado especialistas em diversas áreas e contribuído com a formação de outras pessoas. A figura do docente tem ganhado novos contornos e no percurso do tempo, espera-se que as ferramentas de tecnologias possam contribuir para o resgate do reconhecimento da profissão de professor”, pontuam.

Projeções

A partir do trabalho realizado com Os Pedagógicos, os professores fazem projeções para o futuro da área da docência na rede pública de ensino.

“Cada vez mais estamos colhendo os frutos de uma formação sólida e capaz de promover mudanças. A SEDF tem conquistado em seus quadros professores mais bem preparados e que entendem os normativos e os documentos oficiais da rede. Assim, a execução das políticas públicas é mais efetiva e quem ganha com isso é o estudante da rede, que tem professores mais qualificados e identificados com a instituição. O resultado é ter uma educação pública de qualidade, transformadora e capaz de melhorar a sociedade e suas desigualdades sociais”, concluem.

Sobre os professores

Carlinhos Costa é Servidor Efetivo da Agência Nacional de Águas e da Secretaria de Educação do Distrito Federal, com passagens pela assessoria do Subsecretário de Educação Básica, Diretoria de Ensino Fundamental, Gestor de Escola Pública e Coordenador Intermediário. Graduado em Ciências Biológicas e Pedagogia, Especialista em Direito Educacional e Acessibilidade e Mestre em Metodologia do Ensino. Professor de Cursos Preparatórios para Vestibulares e Concursos desde 2007. Professor desde 2001, possui atuação em todos os níveis da educação escolar.

William Dornela é Mestre em Comunicação Social, especialista em Docência de Ensino Superior, e graduado em Pedagogia e Jornalismo. Possui experiência na área de educação internacional pela Language Studies International (LSI, Canadá). É também servidor efetivo da Secretaria de Educação do Distrito Federal, desde 2009. Atualmente atua como supervisor escolar da rede pública de ensino do DF.

Professores William Dornela e Carlinhos Costa, fundadores do projeto Os Pedagógicos. Foto: divulgação.

Recomende este conteúdo aos seus amigos nas redes sociais e acompanhe a Factual Brasília no FacebookTwitter e Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui