Dia Nacional do Doador de Sangue: Como e por que se tornar um voluntário?

0
doacao-de-sangue

O Dia Nacional do Doador de Sangue é comemorado no dia 25 de novembro e busca homenagear todas as pessoas que separam um tempo em sua rotina para ser um doador voluntário. Essa coleta pode ajudar pacientes que precisam de transfusão de sangue em todos os hospitais e demais unidades assistenciais de saúde do Estado.

A ciência, embora avançada em muitos setores, ainda não encontrou um substituto artificial eficiente para o sangue humano. Por isso, todos os procedimentos médicos que demandam transfusão precisam dispor de um fornecimento regular e seguro deste elemento, o que justifica a importância de manter os estoques sempre abastecidos.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que três milhões de brasileiros sejam doadores regulares, ou seja, 1,9% da população. A professora do curso de Enfermagem da Faculdade Estácio e enfermeira coordenadora da Divisão de Triagem e Coleta de Sangue do Hemocentro de Goiás, Jaciane Soares, conta que o ideal seriam quatro milhões para impedir faltas pontuais nos estoques.

A especialista explica que para reverter esses dados, cada banco de sangue do Brasil utiliza ferramentas ou ações específicas de incentivo. Algumas delas são encaminhamento de mensagens via whatsapp ou SMS lembrando o doador a data da sua próxima doação; panfletos; cartazes; palestras em escolas; colégios e faculdades; além das campanhas vinculadas em TV’s e Rádios.

[otw_shortcode_divider margin_top_bottom=”30″ text_position=”otw-text-center”][/otw_shortcode_divider]

Veja também:

– HGG e Hemocentro promovem coleta de sangue ao som do rock
– No mês do doador, empresas goianas apoiam o Hemocentro

[otw_shortcode_divider margin_top_bottom=”30″ text_position=”otw-text-center”][/otw_shortcode_divider]

E mesmo com essas iniciativas, Jaciane reforça que o procedimento de doação deve ser voluntário, anônimo e altruísta, não devendo, de forma direta ou indireta, receber qualquer remuneração ou benefício em virtude da sua realização. “Portanto, necessitamos sempre contar com a boa vontade da população em ajudar o próximo”, reforça a enfermeira.

jaciane-soares
De acordo com a professora do curso de Enfermagem da Faculdade Estácio e enfermeira coordenadora da Divisão de Triagem e Coleta de Sangue do Hemocentro de Goiás, Jaciane Soares, o ideal seriam quatro milhões de doações para impedir faltas pontuais nos estoques. Foto: divulgação.

Para quem pretende se tornar um doador, é importante conhecer os requisitos básicos, como estar em boas condições de saúde; ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos e menores de 18 anos somente com a autorização dos pais ou responsável; pesar no mínimo 50kg; estar descansado, ou seja, ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas; estar bem alimentado; e ainda evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação.

Por sua vez, também existem alguns impedimentos temporários, entre eles estar grávida ou amamentando; ter doenças infectocontagiosas, tatuagens, piercings e maquiagem definitiva realizadas há menos de um ano; cirurgias recentes; febre ou anemia. “Os demais casos serão avaliados pela triagista durante a entrevista, alerta a professora de Enfermagem da Faculdade Estácio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui