Série de debates na TV com os presidenciáveis começa nesta quinta-feira (9)

0
debate TV Band
A corrida eleitoral em 2018 já está a todo vapor. E a disputa vai começar para valer nesta quinta-feira (9), às 22 horas, quando a TV Bandeirantes colocará os candidatos à Presidência da República frente a frente para o primeiro debate entre presidenciáveis.

De acordo com informações divulgadas pela emissora, as regras preveem mais de 60 confrontos diretos entre os concorrentes, além de perguntas do público e também de jornalistas. A mediação do debate será feita pelo jornalista Ricardo Boechat.

A definição sobre a posição de cada candidato no cenário ocorreu por sorteio, com a participação dos representantes dos partidos. Da esquerda para a direita estarão: Álvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Ciro Gomes (PDT).

O debate vai reunir 8 dos 13 presidenciáveis. Não participam: Luiz Inácio Lula da Silva – líder nas pesquisas de intenções de voto – por estar preso em Curitiba desde o dia 7 de abril, João Amoêdo (Novo), Vera Lúcia (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e José Maria Eymael (DC).

Dinâmica do debate

Nesta sequência também os candidatos responderão a uma pergunta única feita pelos leitores do jornal Metro no primeiro bloco. Em seguida, candidato pergunta para candidato. A ordem também foi definida em sorteio. Quem vai escolher primeiro é Boulos e quem vai fazer a última pergunta é Meirelles.

Cada candidato pode ser perguntado até três vezes. No segundo bloco jornalistas do Grupo Bandeirantes farão perguntas para todos os candidatos e escolherão quem vai replicar. Quem for questionado terá direito à tréplica. No terceiro bloco novamente candidato pergunta para candidato.

O sorteio definiu que quem iniciará os questionamentos será Álvaro Dias e quem perguntará por último será Ciro Gomes. Neste bloco cada candidato poderá ser perguntado até duas vezes. No quarto bloco, jornalistas do Grupo Bandeirantes voltam a perguntar para os candidatos e escolher quem fará a réplica.

No último bloco as considerações finais terão que ser feitas em um minuto e meio, começando com Ciro Gomes e fechando com Henrique Meirelles.

Em caso de ofensa pessoal ou moral o presidenciável poderá pedir direito de resposta, que será analisado por um comitê formado por advogados e jornalistas.

Caso ele seja concedido, será feito em um minuto e sempre que possível no mesmo bloco em que a ofensa ocorreu.

Entre perguntas diretas, réplicas e tréplicas os candidatos se confrontarão 64 vezes nesta quinta-feira.

Onde assistir

O pool de transmissão encabeçado pela Band amplia o alcance e inclui os canais Bandnews, Terraviva, Band Internacional e BandNews Internacional e as rádios Bandeirantes e Bandnews FM. Nas plataformas digitais farão a transmissão o portal da Band (band.com.br), o aplicativo da Band e o canal de jornalismo da emissora no YouTube. Em Goiânia, a transmissão será realizada pela TV Goiânia, afiliada da Band, no canal 11.1 digital.

Debate simultâneo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não foi autorizado pela Justiça a participar do debate. Cotado até o momento como vice na chapa de Lula, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad afirmou que também não vai participar.

No mesmo horário, às 22h, o Partido dos Trabalhadores (PT) fará um debate simultâneo pela internet, denominado ‘Debate com Lula’. Participam da transmissão Fernando Haddad, a presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o coordenador do programa de governo petista, José Sérgio Gabrielli e a deputada e ex-candidata Manuela D’Ávila (PCdoB-RS).

Segundo informações divulgadas pelo UOL, o PT avaliou que um programa pelas redes sociais daria mais exposição a Haddad e Manuela do que se os dois fossem ao debate na TV como convidados.

A estratégia do partido é vincular diretamente os candidatos à imagem de Lula. Caso Haddad assuma a vaga de Lula na chapa petista, Manuela D’Ávila deverá ser a vice.

debate TV Band
Haddad e Manuela D’Ávila costuram possível ocupação da vaga deixada por Lula, caso ele não seja aceito como candidato. Foto: reprodução/Brasil 247.

* Com informações do UOL e band.com.br.

Foto: reprodução/internet.

Recomende este conteúdo aos seus amigos nas redes sociais e acompanhe a Factual no FacebookTwitter e Instagram.

VEJA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui