Estado protocola na Justiça plano emergencial para o transporte público

Plano reconhece a responsabilidade do poder público em conceder um socorro emergencial ao sistema de transporte

0
plano emergencial para o transporte público, transporte público coletivo, transporte público coletivo Goiás, governo de Goiás, plano emergencial, aumento da passagem de ônibus em Goiânia, tarifa do transporte coletivo, Goiânia, reajuste, Câmara Deliberativa de Transporte de Coletivo (CDTC), Transporte coletivo será paralisado, Transporte coletivo será paralisado em Goiânia, paralisação Transporte coletivo Goiânia, paralisação citybus Goiânia, transporte coletivo Goiânia
Foto: reprodução/RMTC Goiânia

O governo de Goiás finalizou o plano emergencial para o transporte público coletivo, no qual reconhece que a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) impactou fortemente o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão do sistema de transporte e a responsabilidade do poder público em conceder um socorro emergencial.

+ Clique aqui e acompanhe todas as nossas notícias relacionadas ao coronavírus

Todos os números e informações apresentados pelas concessionárias foram auditados pela Controladoria Geral do Estado e aprovados pelos demais órgãos de controle, bem como Ministério Público e Defensoria Pública.

Dessa forma, o plano propõe varias responsabilidades ao poder público, às concessionárias e à Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), além de ter apurado um déficit operacional nos meses de marco de abril no valor de pouco mais de R$ 23 milhões, que devem ser divididos entre o governo estadual e demais municípios que fazem parte da região metropolitana, beneficiados com o transporte público coletivo.

“A proposta feita pelo Estado de Goiás foi desenvolvida para dar uma resposta à população e fortalecer o transporte público coletivo. E reforça a visão, que tem de ser de todos, de que o Transporte Coletivo é um serviço público, essencial e de direito de todo cidadão e responsabilidade dos governos”, conclui o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano e Passageiros da Região Metropolitana de Goiânia (SET), Adriano Oliveira.

Recomende este conteúdo aos seus amigos nas redes sociais e acompanhe a Factual no FacebookTwitter e Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui