Escalonamento em Aparecida de Goiânia: cidade retorna ao cenário amarelo a partir de segunda-feira (12)

Mudança foi anunciada pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19, com base em análise técnica do quadro epidemiológico do município, que aponta redução dos casos ativos da doença e menor demanda por leitos de UTI e enfermarias

0
Avenida das Mangueiras, na Vila Alzira, bairro integra a Macrozona Vila Brasília. Foto: Enio Medeiros/Secom Aparecida

Em reunião realizada na última terça-feira (6), em Aparecida de Goiânia, o Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento à Covid-19 definiu o retorno do município ao cenário amarelo (risco moderado). A Portaria 040/2021 foi publicada nesta sexta-feira (9), no Diário Oficial Eletrônico (DOE) e começa a valer a partir de segunda-feira (12).

+ Clique aqui e acompanhe todas as nossas notícias relacionadas ao coronavírus

O cenário amarelo mantém o isolamento social. Com isso, o escalonamento em Aparecida de Goiânia continua intermitente e regional, mas as 10 macrozonas passam a fechar apenas uma vez, de segunda à sexta-feira, podendo abrir apenas serviços essenciais dispostos na portaria. Neste cenário todas as macrozonas podem abrir aos sábados, devendo ficar fechadas aos domingos, com exceção dos essenciais.

A decisão foi tomada a partir de nova avaliação do cenário epidemiológico do município, após 21 dias da suspensão das atividades econômicas não-essenciais iniciada em 15 de março. De acordo com os dados técnicos apresentados pelo secretário de Saúde de Aparecida e coordenador do Comitê, Alessandro Magalhães, a mudança do cenário foi possível em razão do aumento do número de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e enfermarias na rede de saúde, com a continuidade da testagem em massa, medidas de sanitárias implantadas no município, além da redução do número de casos ativos nesse período de 21 dias, apresentando queda no coeficiente de prevalência da doença.

“Analisando de fevereiro até o final de março, a cidade teve um alto de número de casos. E agora, no início de abril, notamos uma desaceleração apontada nos dados do boletim epidemiológico diário. Tais como taxa de letalidade, solicitações de vagas por UTI e enfermaria, a diminuição na pressão por atendimento nas unidades de saúde e na procura pelo teste também. Os gráficos nos indicaram que a curva dessa segunda onda está decrescente no município”, avaliou o secretário municipal de Saúde, Alessandro Magalhães.

O secretário também pontuou que o número de testes RT-PCR, que é o padrão ouro, já realizados no município soma mais de 245 mil, ou seja, atingindo quase metade da população do município. “Aparecida tem realizado uma testagem em massa desde abril do ano passado e isso nos permite cuidar, isolar e monitorar os casos de forma rápida e eficiente, evitando o agravamento de pacientes e o colapso da saúde”, declarou Alessandro.

Alessandro Magalhães explicou ainda que o índice de isolamento social na cidade, segundo a Plataforma Big Data Telcos, está oscilando entre 48% e 50%: “Esse é um percentual satisfatório, demonstrando que atingimos o objetivo proposto com o escalonamento das macrozonas, que era o de reduzir a circulação de pessoas nas ruas. Este modelo de isolamento traz resultados e permite o planejamento pela gestão e pela população, aliando as necessidades de saúde e atividades econômicas. Nossas ações têm sido responsáveis e coerentes com as análises técnicas e científicas”, concluiu.

As regras de funcionamento durante o escalonamento em Aparecida de Goiânia podem ser encontradas neste link.

Divisão das macrozonas no cenário amarelo (risco moderado). Foto: divulgação/Secom Prefeitura de Aparecida

Veja a seguir o que abre e fecha a cada dia da semana a partir de segunda-feira (12):

Denúncias e fiscalização

Ainda consta na portaria orientações para a fiscalização, que será realizada pelos órgãos municipais de forças de segurança pública, coordenados pela Secretária Executiva do Gabinete de Segurança Institucional. Para denúncias e informações de descumprimento da Portaria, a população pode acionar a Guarda Municipal de Aparecida pelo telefone/WhatsApp 3545-5992, e telefones 3238-7243 e 153.

O descumprimento das normas constitui infração administrativa e acarretará a interdição cautelar do estabelecimento. No caso de reincidência, além das penalidades o infrator estará sujeito a multa no valor de 180 Unidades de Valor Fiscal de Aparecida de Goiânia (UVFAs). Caso o infrator, mesmo após ter sido multado, reincida na infração, estará sujeito a multa no valor de 360 UVFA e cassação das licenças municipais.

*Atualizado em 10/4/2021 – 21h48, para inclusão de informações.

Recomende este conteúdo aos seus amigos nas redes sociais e acompanhe a Factual no FacebookTwitter e Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui