Samarco pagará R$ 1 bilhão por danos ambientais

0
mariana

A mineradora Samarco, de propriedade da Vale e da anglo-australiana BHP firmou acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e com o Ministério Público Federal em Minas Gerais (MPF-MG) para o pagamento de R$ 1 bilhão no intuito de reparar os danos ambientais causados pelo rompimento das barragens em Mariana-MG. O recurso será utilizado para medidas emergenciais mitigatórias, reparadoras ou compensatórias.

A medida prevê ainda o desígnio de uma empresa independente para auditar os gastos com os quais a própria mineradora irá arcar. A Samarco tem 10 dias para depositar a primeira parcela, que corresponde à metade do valor, ou seja, R$ 500 milhões. Já a segunda parcela deve ser paga em 30 dias, mediante fiscalização do Ministério Público.

Além do acordo, outras sanções foram impostas. O governo federal multou a empresa em R$ 250 milhões e outros R$ 300 milhões foram bloqueados pela justiça para serem utilizados no auxílio às vítimas do desastre.

[otw_shortcode_divider margin_top_bottom=”30″ text=”Entenda o caso” text_position=”otw-text-center”][/otw_shortcode_divider]

No dia 5 de novembro, duas barragens da mineradora Samarco no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, MG se romperam despejando 62 milhões de metros cúbicos de rejeito mineral misturados com água. Foram identificados sete mortos e ainda há pelo menos 15 pessoas desaparecidas, além de 185 famílias desabrigadas.

A lama inundou o distrito e foi parar no Rio Doce matando peixes, destruindo matas ciliares e causando uma série de problemas ambientais, inclusive levando algumas cidades abastecidas pela água do rio a decretarem estado de calamidade pública. Em Governador Valadares, o abastecimento chegou a ser interrompido, mas já foi normalizado. O avanço dos rejeitos continua e já chegou ao município de Baixo Guandú no Espírito Santo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui