Pix terá limites definidos pelos clientes para transações nos períodos do dia e da noite, diz BC

Mudanças nas regras do sistema de pagamentos instantâneos atendem a pedidos dos bancos, que visam evitar golpes e outros crimes, como sequestros e roubos

0
Pix terá limites definidos pelos clientes, Pix terá limites, limites Pix, Banco Central do Brasil, Pix
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Após vários registros de golpes, fraudes e outros crimes em transações bancárias realizadas por meio do Pix, o Banco Central do Brasil (BC) anunciou nesta sexta-feira (27) que implementará mecanismos adicionais de segurança aos meios de pagamentos digitais.

Entre as mudanças previstas, está a opção de oferecer aos clientes a possibilidade de estabelecer limites transacionais diferentes no Pix para o dia e a noite, permitindo movimentações de valores menores no período noturno.

Conforme a proposta, o limite para operações entre pessoas físicas deve ser de R$ 1.000, no período entre 20 horas e 6 da manhã. Além do Pix, a medida inclui transferências intrabancárias (na mesma instituição), cartões de débito e liquidação de TEDs e vale também para Microempreendedores Individuais (MEIs).

Outro destaque é a determinação para que as instituições financeiras ofertem funcionalidade que permita aos usuários cadastrar previamente contas que poderão receber Pix acima dos limites estabelecidos, permitindo manter seus limites baixos para as demais transações.

Em nota, o BC ressaltou que Pix é um meio de pagamento eficiente e seguro que, em pouco tempo, beneficiou milhões de pessoas e empresas, reduziu custos e fomentou o surgimento de novas soluções para empresas e famílias, com ganhos para todos.

“O Pix continuará evoluindo para agregar novas funcionalidades e assim continuar entregando segurança e valor para a sociedade”, destaca a nota.

As mudanças nas regras do sistema de pagamentos instantâneos atendem a pedidos dos bancos, que visam evitar crimes como sequestros e roubos. De acordo com a autoridade monetária, com o trabalho conjunto do Banco Central, das instituições reguladas, das forças de segurança pública e dos próprios usuários, será possível mitigar ainda mais a ocorrência de perdas.

As medidas de aprimoramento dos meios de pagamento eletrônico serão detalhadas pelo diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução, João Manoel Pinho de Mello, e de Fiscalização, Paulo Souza, em entrevista coletiva, na tarde desta sexta-feira.

Recomende este conteúdo aos seus amigos nas redes sociais e acompanhe a Factual no FacebookTwitter e Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui