O pesadelo das resoluções

0
opinião

Estamos em 2016. E caso você esteja lendo este artigo em data posterior, saiba que ele foi publicado originalmente no dia 04 de janeiro de 2016. Portanto, o ano novo começa verdadeiramente a partir desta data – o primeiro dia útil do ano.

O período festivo terminou (pelo menos até o Carnaval). Hora de voltar à realidade e começar a colocar em prática aquelas resoluções que todo mundo faz na virada do ano. Eu tenho certeza que você também fez pelo menos uma – quer seja um projeto, um sonho a ser realizado, um objetivo a ser alcançado, enfim.

E tome conquistas para se correr atrás – a balança que o diga! Quase sempre o ideal começa pela redução de peso, meta não tão fácil de alcançar, mas este é apenas um exemplo. Fora aqueles cinco ou dez quilos que se deseja jogar fora (ou ganhar também), há muitos outros planos. E aí, tome resoluções: mudar de emprego, ser promovido, conquistar estabilidade, abrir uma empresa ou simplesmente arranjar um emprego, comprar uma casa, encontrar a pessoa amada, casar, ter filhos, comprar um carro (ou deixar de andar tanto de carro e comprar uma bicicleta para se exercitar), abandonar um vício, criar um animal de estimação, tirar férias, viajar, escrever um livro, plantar uma árvore ou qualquer outra coisa que não esteja inclusa em nossa singela lista. Não que sejam menos importantes – é puro esquecimento mesmo.

Geralmente, as resoluções são firmadas no período da passagem de ano, como disse anteriormente. A queima de fogos, o brinde em família e amigos, fora toda a aura que envolve o momento é um período de puro êxtase, ímpar. Só que aí, amigos… quando caímos na real e percebemos quanta coisa projetamos, bate um desespero ao pensar em como fazer tanta coisa prometida, haja vista que teremos de realizar um empenho hercúleo para tentar tirar do papel ou da mente tudo o que almejamos – ou pelo menos parte. Mas não se engane! Essa ressaca não vem por agora, afinal, ainda estamos no início de tudo. Estes efeitos começam a ser surtidos por volta da metade do ano. E sabe o que é pior nisso tudo? As previsões. Sejam elas econômicas, políticas ou institucionais, tudo aponta para crise. Há quem diga que em 2016 teremos saudades do que foi 2015, para se ter uma base. Enfim, o cenário não é dos mais animadores.

Se você leu este texto até aqui, parabéns! Você deve estar garimpando algo de bom, porque até agora tudo que foi escrito foi meio bad vibes, não? Foi. Eu sei que foi. Entretanto, não tenho a intenção de desestimulá-lo – não é meu papel e muito menos da Revista Factual. Ao contrário, quero chamá-lo (e me convidar também) à uma reflexão. O momento é agora!

Não podemos perder tempo. A procrastinação não traz resultados, somente desculpas e lamúrias. Muitos dizem que, no Brasil, o ano só tem início verdadeiramente depois do Carnaval – e dá-lhe “pão e circo” para justificar nosso comportamento festivamente irresponsável. Parece que até que se passem os porta-bandeiras, passistas, mestre-sala e carros alegóricos, não conseguimos funcionar em nossa plenitude pensante e produtiva. Não me entenda mal, por gentileza. Não sou contra nossas festividades, muito pelo contrário, considero manifestações inerentes de nossa cultura. Mas apesar disso, nos posicionamos na retaguarda das festas e vemos o tempo passar, sem aproveitá-lo.

Vou reprisar uma frase que disse no início: o ano novo começa verdadeiramente a partir desta data – o primeiro dia útil do ano. Portanto, voltando às resoluções, tenho um conselho para nós – pois me incluo nesta reflexão: vamos à luta desde já! Há muito para ser conquistado e realizado. E quer saber? Se você está lendo este artigo até aqui sem desistir, você é plenamente capaz de obter êxito em suas empreitadas. Acredite em seu potencial e lute pelos seus sonhos, pois você é totalmente responsável por eles. Tome por resolução não ouvir as palavras que tentam te trazer para baixo ou desviá-lo do foco. E mesmo que tudo o que você projetou não tenha sido alcançado até o fim deste ano que está só começando, não se sinta menor ou fracassado. O importante é dar o pontapé inicial no processo e progressivamente você há de ser bem sucedido em tudo que se dedicar.

Estes são os meus sinceros votos a você, querido(a) leitor(a). Como gosto de dizer, tem um 2016 cheinho de novas possibilidades diante de você. Caia para dentro e vá à luta! Um Feliz Ano Novo para você e sua família! Um grande abraço!

feliz-2016

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui