“O MDB não está saindo da gestão. Quem está saindo é Daniel Vilela e seu grupo”, afirma Rogério Cruz

Declaração foi dada nesta segunda-feira (5), durante coletiva de imprensa em que o prefeito comentou o rompimento de líderes do partido com a Prefeitura de Goiânia

0
O MDB não está saindo da gestão. Quem está saindo é Daniel Vilela e seu grupo, O MDB não está saindo da gestão, Quem está saindo é Daniel Vilela e seu grupo, Daniel Vilela, Rogério Cruz
Prefeito Rogério Cruz em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (5). Foto: reprodução/Prefeitura de Goiânia

Após o MDB anunciar oficialmente o rompimento com a Prefeitura de Goiânia na manhã desta segunda-feira (5), o prefeito Rogério Cruz (Republicanos), concedeu entrevista coletiva no início da tarde, no Paço Municipal, para tratar sobre o assunto.

O prefeito disse não ter acompanhado as declarações do presidente estadual do MDB, Daniel Vilela e de seus apoiadores, mas apenas ouviu seus auxiliares, que lhe passaram um resumo do que foi dito durante a reunião em que 14 auxiliares entregaram seus cargos.

Rogério Cruz afirmou que, em momento algum, torceu pela morte de Maguito Vilela, a quem chamou de “querido líder”, e disse que a morte de Maguito aumentou muito sua responsabilidade, pois além de suceder a gestão de Iris Rezende, terá também que corresponder no mínimo próximo ao que o prefeito eleito faria por Goiânia.

Sobre a perda de apoio do partido, Cruz foi categórico. “O MDB não está saindo da gestão. Quem está saindo é Daniel Vilela e seu grupo. Respeito essa decisão. Aqui está uma grande parte do MDB que é prova de que esta gestão não está expulsando ninguém. Quem foi para a disputa dos votos pelo MDB está aqui, do nosso lado, que são os vereadores eleitos e os vereadores suplentes”, disse.

Durante todo o pronunciamento, Rogério Cruz fez questão de enaltecer o trabalho de Iris e Maguito sem atribuir, no entanto, uma relação entre Daniel Vilela e estas gestões. “Não podemos confundir o legado do nosso eterno ministro Iris Rezende com o trabalho de Daniel Vilela. Respeitamos também o legado e a história de Maguito Vilela. Tanto é que aceitei o convite para ser vice na chapa dele, porque sabia da linha de conduta pública do ex-governador”, afirmou o prefeito.

Plano de governo

Rogério Cruz aproveitou a ocasião para reforçar que o plano de governo estabelecido durante a campanha será cumprido.

“Eu tenho um compromisso com a população de Goiânia. Nós vamos cumprir o plano de governo independente de quem são as pessoas que vão nos auxiliar. Já estamos com o IPTU Social, o Renda Família e desenvolvendo o projeto das 15 mil moradias populares. Eu quero ressaltar que o plano de governo não é apenas do MDB. É de toda a coligação que fez parte da aliança vitoriosa e do povo goianiense. Nunca fugi das minhas responsabilidades. É por isso que assumi este desafio, colocando meu CPF em jogo”, pontuou.

Transparência

O prefeito declarou ter dado mais transparência às verbas públicas, além de decidir o que são as prioridades de sua gestão.

“Determinei ao secretário de governo que editasse um decreto de governança, para dar mais transparência ao uso do dinheiro público, ao contrário do que disse Daniel. Não é o secretário de governo quem decide as prioridades da gestão. Sou eu! Talvez seja isso que incomodou algumas pessoas”, ressaltou.

Corrupção

Rogério Cruz foi taxativo em dizer que não aceitará corrupção no âmbito da administração municipal. Na última semana, o prefeito decretou a suspensão dos contratos de recuperação e reconstrução de vias públicas por quatro meses, após suspeitas de irregularidades apontadas por vereadores.

“No meu governo, não aceito corrupção. Não posso ignorar uma suspeita levantada por quase metade da Câmara de Vereadores sobre um contrato de asfalto. A função dos vereadores é fiscalizar. Eu fui vereador por oito anos. Respeito e louvo essa prerrogativa”, destacou.

O prefeito disse estudar ainda uma reforma administrativa. “Vamos diminuir os gastos com a máquina pública e aumentar os investimentos de maneira responsável. Estamos estudando uma reforma administrativa para adequar a nova realidade do mundo pós-pandemia, que será apresentada à Câmara de Vereadores para, junto com esses, traçar as metas para chegar ao final deste governo com todo o plano de governo executado”, declarou.

Legitimidade

Rogério Cruz disse não existir mudança de rumo. “Vamos cumprir o plano de governo e o líder deste processo sou eu, o prefeito da cidade. Não fugirei das minhas responsabilidades. Estou sempre aberto ao diálogo, estou aberto a todos os líderes da cidade que me procurarem”, frisou.

O prefeito defendeu a legitimidade das alterações que tem promovido em sua gestão. “São legítimas as mudanças implementadas por mim. Afinal, eu sou o responsável. Neste momento, estou mais preocupado em cuidar de Goiânia, vacinar nossa população o quanto antes, do que me preocupar com picuinhas políticas. Ou será que eu, na função de prefeito de Goiânia, teria que deixar outras pessoas ditarem as regras?”, indagou.

Cruz concluiu dizendo que respeita Daniel, mas ele precisa entender que Maguito é quem foi eleito. “Respeito demais o Daniel, mas ele precisa entender que ele não foi eleito. Foi o pai dele. E o plano de governo vencedor vai ser cumprido em respeito a Maguito Vilela e à população goianiense. Eu respeito o MDB de Tancredo Neves, de Ulisses Guimarães, de Iris Rezende e de Maguito Vilela. E acima de tudo, respeito o voto de todos os cidadãos”, finalizou.

Na ocasião, estiveram presentes os deputados federais Jeferson Rodrigues e João Campos, presidente do Republicanos em Goiás, além de secretários, vereadores – inclusive do MDB – e suplentes.


+ LEIA TAMBÉM: MDB rompe com Rogério Cruz e desembarca da Prefeitura de Goiânia

Recomende este conteúdo aos seus amigos nas redes sociais e acompanhe a Factual no FacebookTwitter e Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui