O universo rock em luto: morre aos 47 anos Flávio Basso, o Júpiter Maçã

2
jupiter-maca

A psicodelia perde hoje um de seus mais notáveis expoentes na música brasileira. Flávio Basso, mais conhecido como Júpiter Maçã (ou Jupiter Apple, como era conhecido no exterior) morreu nesta segunda-feira, 21 aos 47 anos, em Porto Alegre. Júpiter morreu de falência múltipla de órgãos em decorrência de uma queda sofrida no banheiro de casa. O músico bateu a cabeça e foi levado ao hospital, mas não resistiu. Ele passava por tratamento de uma cirrose e de complicações causadas pelo uso de drogas.

Júpiter estava aos poucos retornando para o circuito após um período de dois anos afastado devido a uma queda que sofreu em 2012, no prédio onde morava. No bojo das canções consagradas do músico, estão “Um Lugar do Caralho”, “Eu e minha ex”, “Miss Lexotan” e “Modern Kid”. Apesar da excentricidade, Basso era um compositor talentosíssimo e um multi instrumentista habilidoso, além de cineasta. Cantava, tocava guitarra, baixo e criava, tendo como resultado de seu dom, participado do movimento gaúcho de bandas que eclodiram nos anos 80 como TNT e Cascavelletes. Em 1996, lançou seu primeiro disco solo “A Sétima Efervescência”, considerado um dos 100 discos brasileiros mais importantes da história, de acordo com avaliação da revista americana Rolling Stone.

Seu último trabalho foi o disco “Six Colours Frenesi”. Durante seus 30 anos de carreira, Júpiter flertou com o rock, o pop, o psicodélico e até mesmo com a bossa nova. Ele se apresentaria nesta terça-feira no Panamá Estudio Pub, em Porto Alegre. O evento segue mantido em homenagem ao cantor.

O velório de Júpiter Maçã está previsto para acontecer a partir das 8h30 desta terça-feira, 22, no Teatro Renascença, espaço cedido pela prefeitura para a ocasião.

2 COMENTÁRIOS

  1. Ficamos órfãos! mais um artista, musico,diretor,produtor compositor,cantor nos deixa mas fica o legado que fez parte da cena underground primeiramente, ms que expandiu para novas constelações, órbitas, enfim continuara em Jupiter ou sei onde for a expandir com outros carinhas épicos da cena Rock Mundial e alastrar intuitivamente a nós seres humanos a que posamos também seremos super chapados e estarmos num lugar do caralho! , abrs, fique com Deus,Jesus Flàvio(Júpiter)!

    • Verdade, Claudiomir. Júpiter foi um gênio em suas empreitadas, talvez não com todo o reconhecimento que merecesse. Mas sem dúvida, deixa um legado e milhares de fãs espalhados pelas grutas do rock n’ roll. Obrigado por comentar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui