Paralisação de motoristas da Metrobus é encerrada e transporte coletivo é normalizado em Goiânia

Grevistas já liberaram os ônibus e a operação foi retomada, informou a RedeMob Consórcio

0
motoristas da Metrobus, Metrobus, Eixo Anhanguera, Leila Maria de Oliveira, Ministério Público, CMTC
Ônibus da Metrobus na linha Eixo Anhanguera. Foto: Governo de Goiás/divulgação.

Os motoristas da Metrobus que realizavam uma paralisação em Goiânia na manhã desta sexta-feira (9), decidiram encerrar a greve. Com isso, os ônibus que fazem o trajeto da linha Eixo Anhanguera foram liberados e a operação foi normalizada, segundo a RedeMob Consórcio.

Mais cedo, o Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT-18) declarou a ilegalidade da greve a partir de uma Ação Declaratória ingressada pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia (SET).

O TRT-18 instituiu ainda multa diária R$ 50 mil ao Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Goiânia e Região Metropolitana (Sindicoletivo), em caso de descumprimento da decisão, proferida pelo desembargador Geraldo Rodrigues do Nascimento.

“Não se pode olvidar que é potencialmente grave o dano que eventual paralisação total do transporte público coletivo pode causar à coletividade, principalmente no atual momento de grave crise econômica causada pela pandemia decorrente da Covid 19”, argumentou o desembargador na decisão.

A paralisação foi definida em assembleia realizada no último sábado (3) pelo Sindicoletivo. A reivindicação prioritária dos profissionais da categoria é a vacinação imediata dos motoristas contra a Covid-19. O sindicato alegou descaso das empresas e cobrou a imunização dos profissionais.

O SET alegou que a greve é política, uma vez que apenas a Metrobus paralisou as atividades, liderados por colegas de empresa membros do Sindicoletivo.

Resposta da Metrobus

Em nota à imprensa, a Metrobus informou que após reunião com representantes do Sindicato dos Trabalhadores, a greve foi encerrada às 11h15 e os motoristas decidiram retornar imediatamente ao trabalho.

A empresa assumiu o compromisso de avaliar as reivindicações dos motoristas e lamentou os transtornos gerados pela paralisação. A companhia afirma que participou de diálogos com as entidades de classe desde o início da greve, para que os veículos voltassem em operação o mais rápido possível.

“A Metrobus ressalta que, desde o início da pandemia, tomou uma série de medidas para conter o avanço da Covid-19 entre os seus colaboradores, em especial aos motoristas, com o fornecimento de máscaras e distribuição de álcool em gel”, diz trecho da nota divulgada pela empresa.

Recomende este conteúdo aos seus amigos nas redes sociais e acompanhe a Factual no FacebookTwitter e Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui